Século XXI


Obra indispensável

 

MANUTENÇÃO DA ORDEM PÚBLICA NO PROCESSO PENAL

A arbitrariedade só termina quando a imaginação do ditador se esgota.

Obra jurídica de relevância, única que trata exclusivamente do tema.

 

ADQUIRA JÁ o seu exemplar NA AMAZON. Disponível para computadores, Ipad, Iphone e todos os dispositivos Android.

http://www.amazon.com.br/Manuten%C3%A7%C3%A3o-Ordem-P%C3%BAblica-Processo-ebook/dp/B00DCX06V0/ref=sr_1_2?s=digital-text&ie=UTF8&qid=1371571564&sr=1-2&keywords=bamonte



 Escrito por Dr. Tércio Felippe M. Bamonte às 13h34 [] [envie esta mensagem] []






Revolução

Os romanos e os fatalistas

 

Seremos nós romanos ou fatalistas? Os romanos, em definição estereotipada é aquele que aponta, acusa e adora ver os criminosos morrerem na arena. Os fatalistas tem origem mais ou menos na mesma época. São os cristãos que morriam devorados pelos leões, nas arenas preparadas pelos romanos. Na época, pelo estereótipo bíblico, morriam conformados, pacíficos e sem qualquer reação, aceitando a fatalidade divina.

Hoje vejo milhões de romanos na tv. O ‘coro da morte’ é puxado pelos Césares modernos, aqueles que abaixam o dedão em rede nacional, declarando a sentença de morte dos inimigos públicos. A arena é outra, afinal evoluímos desde a época de Cristo. A sentença também é outra, pois não jogamos os criminosos aos leões ou carrascos. Os lançamos à desgraça social, ao limbo financeiro, ao gosto da multidão ensandecida pela fúria dos Césares modernos. A punição, para eles, é algo que deve existir, ser dura e vingativa.

Vejo, por outro lado, algumas centenas de fatalistas, que atribuem à fúria divina os acontecimentos recentes. Ninguém é culpado de nada. Tudo é resultado de uma infeliz soma de erros inocentes e comuns. Outros fatalistas apostam no carma, na necessidade da morte coletiva para aplacar os erros da alma. A vontade de Deus foi respeitada, no final das contas. A punição, para eles, é inútil e fruto de vingança.

Mais uma vez pergunto: seremos nós romanos ou fatalistas? Estamos em busca da condenação incondicional ou da redenção divina? Jogamos os suspeitos na boca do leão e os encarceramos ou deixamos seus destino nas mãos infalíveis de Deus?

Não somos romanos nem fatalistas, dizem alguns. Temos um sistema jurídico que embora falível, é útil para punir os culpados e absolver os inocentes. E isto deve bastar. Mas basta? É suficiente a absolvição jurídica depois da vergonha pública, do achincalhe em rede nacional ou da condenação prévia (mas definitiva) dos autointitulados legítimos representantes da nação? Os Césares modernos se apresentam assim, como a voz do povo, os fiscais da nação, a reserva moral de uma sociedade deturpada pelos maus.

O brado retumbante por justiça é travestido. Ele prega a vingança como instrumento de pacificação social, incentiva o ódio e a segregação como remédios heroicos para uma sociedade doente.

Vejo que a cada dia nos tornamos mais romanos e menos fatalistas.

O ideal é que sejamos Socráticos. O ideal é que saibamos respeitar a igualdade, não nos esquecendo que as diferenças devem contar. Saibamos respeitar o próximo como aquele juiz que viu na pessoa do acusado ele mesmo, em outras condições de vida e em outras circunstâncias de fato. Vamos depositar nossa fé nas instituições, não nos falsos Césares. Deixemo-los gritar até que sua ferocidade se cale diante da verdadeira justiça, que para nós não é a divina.

Deixemos o divino para Deus, no reino que não é deste mundo.

Deixemos a justiça para os tribunais, que é deste mundo.

Vamos renunciar à natureza romana, vamos deixar os ditadores da mídia sensacionalista sem poder.

Esta é a revolução que proponho.  

 



 Escrito por Dr. Tércio Felippe M. Bamonte às 11h03 [] [envie esta mensagem] []






Belenzinho

CICLOS DA NICOLAU

1987, 1988...e por aí vão os anos. Último dia de aula, cada um em seu colégio, contando os segundos para terminar aquela aula que parecia eterna. Toca o sino. Não víamos a hora de chegar em casa, largar a mochila no sofá e sair pra rua. O mundo girava, Sarney, Bush, Petróleo, Cruzeiro, Cruzado. Pra nós o que interessava era a bola. Pequena, grande, surrada, nova, velha. Enquanto a orbe transitava em torno do sol, nós transitávamos em torno da rua e deles, dos amigos que berravam em nossa porta à nossa procura. Tudo, mas tudo mesmo era importante e descartável ao mesmo tempo. Furou a bola, foi parar no telhado? Bora procurar o que fazer. Bicicleta, kit Vipal, bomba manual ou do posto. No taco, valia tudo, desde a lata de óleo do posto até palito de sorvete. Cansados da maratona, era hora do videogame, jogo da vida, war, brincadeira do copo ou um filminho pornô alugado na clandestinidade. Tinha também os Faces da Morte, Hora do Pesadelo, Sexta Feira 13. O tempo passava muito rápido, o dia voava. Quando a gente via, já eram onze da noite. Hora de dormir. Às vezes o Freddy Krueger ou o Jason não queriam deixar, mas a gente estava tão acabado que dormia assim mesmo. Banho e cama. Antes dava uma olhadinha no joelho ou no cotovelo ralado, lotado de merthiolate (que manchava tudo, mas não ardia nada). Pai, mãe, avó, avô, todos estavam lá, mas a gente via mesmo quando ia dormir ou quando era arrastado no domingo pra almoçar na casa de algum deles. Mas tirando isso, o barato era contínuo. Moleque que é moleque faz molecagem, sem sombra de dúvidas. Amarrar o rabo do gato, soltar morteiro no meio da rua, concurso de arroto, de peidos. Nada que ferisse a honra alheia, mas era bom demais. Também era bacana pegar o 172 C pra ir no Center Norte e o 172 N pra voltar. Tudo com o dinheiro contado. Pra muitos essa galera já era. Pra mim ela ainda é. Nosso bairro tem dessas coisas, meio cidade do interior, onde ninguém se desliga de verdade. Até na noite de natal a gente se encontrava, mostrava os presentes, ficava brincando quando deixavam, claro. Hoje, um quarto de século depois, estou de volta ao natal. Não fico mais na rua, e nem eles. A gente guarda um pouco da infância no videogame empoeirado na prateleira, vendo fotos antigas ou rindo um do outro quando nos encontramos. Nós crescemos, aparecemos e nos preocupamos com aquilo que os nossos pais se preocupavam. Mas sinto de novo Mas não abandona o navio. São Paulo continua a mesma nestas férias escolares. Continua com as crianças pela rua, empinando pipa, jogando bola, taco e voltando pra casa com o joelho estourado. Os gritos delas vão até tarde, pais chamando pra jantar, pra dormir. A gente liga o rádio...Imigrantes cheia, demora pra por o pé na areia. Até que chega fevereiro e tudo começa de novo, a gente relaxa. Quer dizer...nem tanto, porque o trânsito continua e a gente tem que colocar as crianças pra dormir cedo, não pode mais jogar bola na rua, tem que acompanhar a lição de casa, reunião de pais...rsrsrs...E os ciclos se repetem, meu pai fez isto, eu estou fazendo...cheiro de natal no ar. A segunda feira não tem o mesmo jeitão de sempre, o trabalho tá diferente, as pessoas estão com o espírito mais relaxado. São Paulo se prepara pra mais uma temporada de chuvas, alagamentos, engarrafamentos monstruosos. É epoca de quem está em casa passar algumas horas vendo o Datena xingando os políticos e informando sobre as enchentes. Quem não pode, chora, sofre dentro do carro....Mas não abandona o navio. Vejo hoje que São Paulo continua a mesma, até mesmo nas férias escolares. Continua com as crianças pela rua, empinando pipa, jogando bola, taco e voltando pra casa com o joelho estourado. Os gritos deles vão até tarde, mãe chamando pra jantar, pra dormir. A gente ligao  rádio...Imigrantes cheia, vai demorar pra por o pé na areia. Até que chega fevereiro e tudo começa de novo e a gente relaxa. Quer dizer...nem tanto, porque o trânsito continua e a gente tem que colocar as crianças pra dormir cedo, tem que acompanhar a lição de casa, reunião de pais...E os ciclos se repetem, vivemos diferente para que nossos filhos possam viver igual ou melhor do que nós. Se for igual, ótimo, se for melhor...difícil, hein? 2007, 2008...e por aí vão os anos... Mas não abandona o navio. São Paulo continua a mesma nestas férias escolares. Continua com as crianças pela rua, empinando pipa, jogando bola, taco e voltando pra casa com o joelho estourado. Os gritos delas vão até tarde, pais chamando pra jantar, pra dormir. A gente liga o rádio...Imigrantes cheia, demora pra por o pé na areia. Até que chega fevereiro e tudo começa de novo, a gente relaxa. Quer dizer...nem tanto, porque o trânsito continua e a gente tem que colocar as crianças pra dormir cedo, não pode mais jogar bola na rua, tem que acompanhar a lição de casa, reunião de pais...rsrsrs...E os ciclos se repetem, meu pai fez isto, eu estou fazendo...Mas não abandona o navio. São Paulo continua a mesma nestas férias escolares. Continua com as crianças pela rua, empinando pipa, jogando bola, taco e voltando pra casa com o joelho estourado. Os gritos delas vão até tarde, pais chamando pra jantar, pra dormir. A gente liga o rádio...Imigrantes cheia, demora pra por o pé na areia. Até que chega fevereiro e tudo começa de novo, a gente relaxa. Quer dizer...nem tanto, porque o trânsito continua e a gente tem que colocar as crianças pra dormir cedo, não pode mais jogar bola na rua, tem que acompanhar a lição de casa, reunião de pais...rsrsrs...E os ciclos se repetem, meu pai fez isto, eu estou fazendo...



 Escrito por Dr. Tércio Felippe M. Bamonte às 14h27 [] [envie esta mensagem] []






Terremoto e Tsunami no Japão

É galera...

...a coisa tá preta por lá e por aqui. Morreu muita gente, e os nossos irmãos mais próximos, os brasileiros, não escaparam da tragédia. Ontem falei com uma prima em Tokio, que me relatou a morte de muitos brasileiros no Tsunami. Em uma das fábricas que pegou fogo, só trabalhavam imigrantes vindos do Brasil.

E mais. Está faltando comida no Japão. O governo japonês está fazendo o que pode para os japoneses, e as embaixadas estão ajudando seus compatriotas. Com exceção do Brasil, claro, cuja embaixada não dá assistência pra ninguém ou auxílio para sair do país.

Foi previsto para hoje mais um terremoto de escala 7, vamos rezar para que não morra mais ninguém, e o país consiga se reerguer rápido.

Mas a minha revolta maior é a atitude do governo brasileiro na ajuda aos seus cidadãos, e a seleção maliciosa da imprensa que não divulga os reais acontecimentos para nós. Ficamos vendo imagens repetidas nos jornais (até enche o saco), e o que realmente interessa fica fora do nosso conhecimento.
Quando é que a imprensa vai agir de forma coerente e efetivamente TRANSPARENTE? Qual o motivo de se esconder informações tão importantes?
A voz de um blog pequeno é calada diante da imensidão de informações que circulam pela internet, mas alguém precisa cumprir o papel pois a imprensa está se omitindo propositadamente.

Uma boa semana a todos.


 Escrito por Dr. Tércio Felippe M. Bamonte às 10h43 [] [envie esta mensagem] []






Para o Pessoal da Comunidade do Belenzinho no Orkut, e também para os moradores e/ou comerciantes, logo a seguir está o modelo de abaixo assinado que encaminharemos para as autoridades. Devemos eleger dois representantes para a reunião que será marcada, então vamos à luta com a indicação dos candidatos, ok? Quando os representantes estiverem eleitos, basta copiar e colar no Word ou qualquer outro editor de texto, imprimir e sair à coleta das assinaturas.

Um abraço a todos.

Tércio




 Escrito por Dr. Tércio Felippe M. Bamonte às 10h53 [] [envie esta mensagem] []






ABAIXO ASSINADO DE REQUERIMENTO PARA MAIS SEGURANÇA PARA O BAIRRO DO BELENZINHO

Nós, cidadãos contribuintes e moradores do bairro do Belenzinho que ao presente subscrevemos, estamos indignados com a falta de segurança nos perímetros deste Subdistrito, mormente porquanto encontramos diuturnamente viaturas estacionadas nas bases e nenhum ou pouquíssimo patrulhamento, solicitamos em caráter URGENTE audiência com o Comando das Polícias Civil e Militar, além de representante da Secretaria de Segurança Pública, para que seja sanado o problema.

A representação popular no CONSEG e os constantes requerimentos têm sido protelados pelo Estado, motivo pelo qual este abaixo assinado é realizado, para demonstrar o DESCONTENTAMENTO GERAL do Bairro com a visível conivência estatal com assuntos gravíssimos como criminalidade, flanelinhas, moradores de rua, tráfico de entorpecentes, furtos e roubo de veículos, furto e roubo a residência e pedestres, vadiagem, uso de entorpecentes, tentativas de homicídio e limpeza urbana.

Em caráter IMEDIATO, solicitamos a reabertura do 81º Distrito Policial no período noturno, desafogando o efetivo do 10º DP, que dispõe de equipamentos insuficientes para atender á demanda da região, a instalação de uma Companhia de Batalhão da Polícia Militar no 81º DP, o aumento no efetivo da Polícia Militar e a ORDEM para que seja PROIBIDO O ESTACIONAMENTO DE VIATURAS por mais de 05 minutos, o que aumentaria a segurança e o patrulhamento ostensivo no bairro.

Estão eleitos pelos subscreventes do presente os Srs.___________________________________, RG________________________________

E_____________________________________, RG________________________________

para representar o Bairro do Belenzinho na reunião supra requerida.

O presente é impresso em quantas vias de assinatura forem necessárias para a aprovação do pedido e consideração das autoridades.

 

Candidatam-se para o cargo de representantes FORMAIS, com caráter NÃO JUDICIAL, ou EXTRAJUDICIAL os seguintes moradores e/ou comerciantes do Bairro do Belenzinho:-

1.________________________________________________________________________

2._______________________________________________________________________

3._______________________________________________________________________

4._______________________________________________________________________

5._______________________________________________________________________

6._______________________________________________________________________

ABAIXO ASSINADO DE REQUERIMENTO PARA MAIS SEGURANÇA PARA O BAIRRO DO BELENZINHO

 

1._______________________________________________ RG._________________________

2._______________________________________________ RG._________________________

3._______________________________________________ RG._________________________

4._______________________________________________ RG._________________________

5._______________________________________________ RG._________________________

6._______________________________________________ RG._________________________

7._______________________________________________ RG._________________________

8._______________________________________________ RG._________________________

9._______________________________________________ RG._________________________

10.______________________________________________ RG._________________________

11.______________________________________________ RG._________________________

12.______________________________________________ RG._________________________

13.______________________________________________ RG._________________________

14.______________________________________________ RG._________________________

15.______________________________________________ RG._________________________

16.______________________________________________ RG._________________________

17.______________________________________________ RG._________________________

18.______________________________________________ RG._________________________

19.______________________________________________ RG._________________________

20.______________________________________________ RG._________________________

21.______________________________________________ RG._________________________

22.______________________________________________ RG._________________________

23.______________________________________________ RG._________________________

24.______________________________________________ RG._________________________

25.______________________________________________ RG._________________________



 Escrito por Dr. Tércio Felippe M. Bamonte às 10h52 [] [envie esta mensagem] []






Mais Segurança no Belenzinho

Para o Pessoal da Comunidade do Belenzinho no Orkut, e também para os moradores e/ou comerciantes, logo a seguir está o modelo de abaixo assinado que encaminharemos para as autoridades. Devemos eleger dois representantes para a reunião que será marcada, então vamos à luta com a indicação dos candidatos, ok? Quando os representantes estiverem eleitos, basta copiar e colar no Word ou qualquer outro editor de texto, imprimir e sair à coleta das assinaturas.

Um abraço a todos.

Tércio



 Escrito por Dr. Tércio Felippe M. Bamonte às 10h51 [] [envie esta mensagem] []






Das 'saidinhas' temporárias

 

A progressão de regime é política pública de segurança pública em muitos países do mundo. Até onde a prisão perpétua existe, a liberdade condicional pode, e é concedida aos cdondenados a este tipo de pena.

Em uma síntese beeeeem apertada, os indultos temporários (as famosas 'saidinhas', são concedidas àqueles que demosntraram merecimento (bom comportamento, ou cumpre outros requisitos da LEP).

Todos os anos, o Presidente da República, desde tempos remotos, promulga uma lei que serve para regulamentar os indultos, e esta LEI é seguida pelos juízes das Varas das Execuções Criminais.

O que acontece, é que os Estados estão com as Varas de Execução abarrotadas, sem pessoal e material precário de trabalho. Não têm elas profissionais motivados, capacitados e VOCACIONADOS para o trabalho importantíssimo que possuem.

Isto resulta no expurgo indiscriminado de 'reeducandos' para estas 'saidinhas', e dá no que dá. O Datena cansa de criticar isto, mas SEM CONHECIMENTO DE CAUSA.

Infelizmente, nos presídios estupidamente superlotados que temos no BRASIL TODO, quando uma minoria não volta, cerca de 10 %, é um alívio para os demais. Existe até ordens de dentro da cadeia para que alguns não retornem, sob pena de MORTE, vocês sabiam disto?

Mais uma vez é uma questão de Administração, plano de governo, de um Estado (União também) participativo e presente, o que infelizmente não temos e nunca tivemos.

A solução para sistema penitenciário FALIDO que temos ainda não foi encontrada, quem sabe não surgem algumas sugestões HUMANAS para isto por aqui? Sim, porque na campanha eleitoral se discutem bolinhas de papel e calúnias espúrias, no lugar de discutir um plano de governo decente. EM AMBOS OS LADOS.

Uma boa semana a todos.



 Escrito por Dr. Tércio Felippe M. Bamonte às 10h16 [] [envie esta mensagem] []






Medo, o condutor do Brasil?

Na primeira eleição do Presidente Lula, incutiu-se o medo acerca de seus atos no futuro governo, com o claro intuito de destruir a campanha do até então inabalável e inabalado PT. Nada deu certo, e as palavras do presidente eleito foram: "A esperança venceu o medo". Naquele momento, foram as palavras certas, que pautaram uma das mais belas cerimônias de posse de um Presidente do Brasil. Quem não se emocionou ao ver a esperança vencer o medo, no dia da posse de um metalúrgico quase Paulista, alçado ao cargo mais alto do país. Talvez até mesmo aqueles que espalharam os boatos - hoje nós sabemos que eram boatos, e que a esperança do povo foi revelada como sendo maturidade política - tenham rangido os dentes com uma lágrima nos olhos ou friozinho na barriga, afinal de contas aquele momento era da pátria, não dos partidos ou dos medrosos de plantão.

Hoje revendo aquelas imagens, sinto a emoção aflorando novamente, agora mais discreta. Algo que não mudou, foi o orgulho do meu país e de seu povo que aprendeu o que é mudança, e qual é o momento e o instrumento correto para fazê-la acontecer. Ontem, oito anos atrás, não sabia o Brasil o que significava mudança, mais sabia muito bem o que queria. Seria muita inocência achar que o Brasil se arrependeu de sua escolha, afinal a fez mais uma vez e o Presidente Lula é o mais popular da história democrática do Brasil, faltando pouco menos de cinco meses para o final de seu segundo mandato.

Naquela época, e também na reeleição tive a sensação um pouco melhor do que hoje. Não em relação aos candidatos. Cada um deles tem condições de assumir as responsabilidades que se propõe, com equipes de governo igualmente competentes.  A guerra eleitoral assumiu patamares incrivelmente inesperados.

Tal qual em 2002, o medo tomou conta da mídia - porque o povo não teme, ele segue as tendências, no máximo. Em primeiro lançado por algum incauto religioso, que foi aproveitado por um dos lados, fazendo com que o outro tivesse que se justificar. Depois a onde foi crescendo, a bola de neve foi ficando maior e hoje recebo spams absurdos contra um candidato ou notícias de escândalos envolvendo o outro.

Enquanto isso, a campanha, as propostas, os programas de governo ficam em segundo ou terceiro plano. Os dois lados parecem temer invocar temas que podem e devem ser discutidos agora. Os candidatos devem tomar uma posição, doa a quem doer, mas devem ser firmes. Tudo é muito aéreo e imediatista, nenhum dos dois parece - aos olhos do povo - ter a mesma convicção de vida e de políticas públicas daquela que ficou em terceiro lugar e fora da disputa do segundo turno. 

Por que não discutir a mudança na lei do aborto? Por que não inovcar a repentina alta do real e suas conseqüências para o Brasil a curto e longo prazo? E quanto a taxa Selic? E os juros abusivos dos bancos? O que se fará em prol dos ainda analfabetos, miseráveis? O que será das classes B, C, D e E? Vamos corrigir os índices do Imposto de Renda, junto com a inflação e o salário mínimo? O que faremos para aumentar a poupança média do brasileiro?

Parece que a regra é: é polêmica? Joga nas costas dos outros, em tom ameaçador e calunioso. O candidato se enrola. Faça denúncias, o candidato se enrola, tem que se desculpar.

Quem perde somos nós. Saramago já escreveu sobre isto, no Ensaio Sobre a Cegueira, quando deixamos de lado aquilo que interessa e passamos a discutir só o que não presta.

Fé no Brasil, no seu povo e na sua maturidade política é o que tenho. Não há nada mais sujo e nojento do que se utilizar do medo e das pseudoreligiões para influenciar o voto do povo. A esperança venceu o medo uma vez e o fará mais uma vez. Só assim perceberão os homens de preto o que é maturidade política de um país verdadeiramente democrático, e o tom das próximas eleições será outro.

 

Que assim seja.



 Escrito por Dr. Tércio Felippe M. Bamonte às 19h40 [] [envie esta mensagem] []






Corinthians

Para novo técnico do Corinthians...TIRIRICA!

 

PIOR DO QUE ESTÁ NÃO FICA!



 Escrito por Dr. Tércio Felippe M. Bamonte às 20h14 [] [envie esta mensagem] []






Resgate no Chile



Primeiro mundo é FODA. Os chilenos presos em uma mina desgraçada, em pouco mais de 60 dias serão resgatados. Fosse no Brasil, só a licitação demoraria 6 meses. O julgamento dos perdedores pela Lei 8.666, levaria de 2 a 10 anos (até o STF não chegar a conclusão alguma). A empresa ganhadora da licitação (finalmente) começaria a obra, que após 30 dias de trabalho, pediria rejuste do contrato. O Tribunal de Contas rejeitaria. Mais um Mandado de Segurança. É cancelada a Licitação e abrir-se-ia outra concorrência. Conclusão: Os mineiros seriam encontrados em uma escavação arqueológica daqui a 2.000 anos e o STF não terá concluído o primeiro Mandado de Segurança.


 Escrito por El Vergueirinho às 20h02 [] [envie esta mensagem] []






Deu certo! Olha o Abestado aí!

tiririca presidente

Quem articulou a campanha do Tiririca foi um gênio. Poderia ter posto ali um Patati ou Patatá, ou até mesmo um carinha qualquer vestido de Bozo. Mas preferiu o Tiririca. Por que isso? Acho que nunca vou saber, pelo menos com a sanidade em perfeito estado. Mas não é que deu certo? O Palhaço cantou, dançou, fez gracinhas, pulou e riu. Taxá-lo de inocente, é insultar sua própria experiência de vida. Rotular este homem simplesmente de Palhaço, não chega nem perto daquilo que ele é ou pretende ser.
Pouco antes do pleito, houve uma parca tentativa da revista Época e de seus fiéis seguidores de classe média de denegrir sua imagem e impugnar a candidatura. Nada deu certo, e o Palhaço, dono da legenda 2222 chegou lá. Mas não chegou carregado por um barbudo ensandecido, tal qual um ex-gari fez em São Paulo. Chegou carregado nos braços do povo, que fez dele um dos deputados mais votados da nossa história democrática. Também o que fez o povo levar este homem ao Parlamento é algo que demandará estudos sociológicos, antropológicos, políticos e será até mesmo objeto de teses de mestrado ou doutorado.
Hoje, dois dias depois do fatídico 03 de outubro, a revolta dos derrotados se faz presente. Grandes nomes de renomada cadeiras políticas não se conformam que um Palhaço os fez de trouxa, deixando-os à própria sorte, talvez para as eleições municipais daqui a dois anos.
O ódio virou processo, denúncia revanchista de alguém que ainda sonha permanecer na cadeira, que só não possui a forma de suas bundas, porque o nosso dinheiro as troca frequentemente.
Se foi por protesto, por gozação, por graça ou até mesmo fé ou dó, a verdade é que São Paulo, a locomotiva financeira do Brasil, berço de grandes mentes e pátria dos intelectuais de classe média, carregou nos ombros um Palhaço analfabeto e infantilizado ao Congresso Nacional. Os paulistas fizeram do pequeno Tiririca, uma grande personagem da política nacional, e isto ninguém, nem o mais togado e douto Magistrado ou Ministro vai tirar dele.
Confesso que não fui um daqueles que privilegiou o Palhaço, mas me orgulho em tê-lo me representando lá no Legislativo.
Faça o que fizer, saiba o que souber, ande onde andar, tenho certeza que alguém lá na Câmara Federal, vai traduzir fielmente o que qualquer brasileiro comum faria no lugar dele. Vai deslumbrar-se, sentir-se importante. Depois disto, vai perceber que um Palhaço é muito maior do que um Deputado, porquanto sua responsabilidade é muito maior, é o dever de fazer feliz, ainda que por alguns momentos e que dinheiro nenhum no mundo pode pagar o sorriso de um brasileiro sofrido.
Então, senhores donos do Brasil: deixem o Tiririca entrar de cabeça erguida onde o povo o colocou, porque dali ele sairá ciente de que pertence a outro picadeiro.

Tércio Bamonte (05/09/2010)



 Escrito por El Vergueirinho às 16h18 [] [envie esta mensagem] []






Tá pensando o que?

 

É DILMA NO CORAÇÃO E NA CABEÇA!



 Escrito por El Vergueirinho às 14h05 [] [envie esta mensagem] []






Filhos do meu Brasil

Nada pior - Meu segundo poema da vida.

 

As eleições vêm chegando,

E com elas as promessas vazias,

Por isto vou mandigando,

Contra os filhos das vadias.

 

Observando este mundão,

Pude constatar umas coisas,

Preconceito e podridão,

Contra pobres e os sem esposas.

 

O mesmo percebi,

Contra times do coração,

E os partidários do Suplicy,

Pobres torcedores do Timão.

 

Coisas que não se sustentam,

São pobres, putas e comunistas,

E aqueles que na cobra sentam,

Sofrem a ojeriza dos malufistas.

 

Não é doença ou pecado,

Gostar de pica ou do Lula,

Mas declarar-se viado,

Só faz quem a cerca com macho pula.

 

Pobre do meu Brasil,

País de esporte varonil,

Difícil de se engolir,

Mesmo tomando Viadil*.

 

 Ser Corinthiano e Petista,

Causa espanto e confusão,

Mas pior que ser elitista,

É ser Gambá, Vermelho e Falso Machão.

 

*Droga chilena muito consumida pelos São Paulinos. http://www.farmaciasahumada.cl/fasaonline/fasa/MFT/PRODUCTO/P3355.HTM



 Escrito por El Vergueirinho às 10h53 [] [envie esta mensagem] []






Fazer o que...

Tudo que a gente pode fazer, é espernear..

 

http://www.youtube.com/watch?v=8cHFOITyM1Y&feature=player_embedded

 

Descanse em paz, MESTRE.



 Escrito por El Vergueirinho às 15h27 [] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 


BRASIL, Sudeste, Homem, de 26 a 35 anos, Breton, Cinema e vídeo, Papelaria e escritório









 
 




UOL - O melhor conteúdo
BOL - E-mail grátis
 
 

Dê uma nota para meu blog